Vênus e a Psicanálise

O Nascimento da Vênus, de Botticelli - detalhe

Como já mencionei numa outra crônica, “Psicanálise não é conversa“, não sendo a Psicanálise uma terapia de conversa penso que posso chamá-la de psicoterapia de relacionamento, porque o objetivo é ajudar alguém a sair de um sofrimento psíquico, de alma. E todo esse papo de terapia parece não ter nada a ver com Vênus, planeta sempre associado ao amor e à beleza, à sedução. Vênus, astrologicamente, é o planeta da união e da atração. Foi Vênus que levou uma tribo primitiva a fazer acordo e juntar forças com outra tribo próxima — é o planeta que nos ensina que a união faz a força, representa a nossa capacidade de nos relacionar, de expressar afeto, fazer acordos, negociar, nos agregar. Não é à toa que muitos estadistas bem-sucedidos têm Vênus muito bem colocada em suas Cartas Natais. Vênus também determina o nosso gosto, nosso senso estético, a nossa sociabilidade, o que nos atrai ou nos causa repugnância, no nosso ambiente e nas outras pessoas; indica o que nós valorizamos, e então está relacionado com dinheiro, bens e recursos em geral.

Nas relações sociais, Vênus é civilizadora; sua energia é pacificadora, harmonizadora, suavizante, embelezadora. Sendo o planeta da harmonia, está relacionado aos valores, aos negócios e à capacidade de negociar, à medida justa nas trocas. Quer dizer, em qualquer acordo, todos têm que lucrar.

É muito relacionada à forma, ao equilíbrio, à proporção; é o planeta que dá forma às nossas ideias e as transforma em imagens, em imaginação, daí propiciando sua concretização. E também tem a ver com as construções, a arquitetura, as ideias construídas.
Antigamente, era considerada a pequena Fortuna Astral, um planeta de sorte, porque bons relacionamentos valem tanto ou mais que ouro, e saber cooperar leva à prosperidade.

É exatamente esse o princípio da pratica da psicanálise: é preciso haver empatia entre o analista e seu analisante (como se chama agora), para começar. E é a forma como se estabelece esse relacionamento entre os dois que vai provocando uma melhora na vivência de relacionamento do analisante. Quase todo o sofrimento da alma vem do amor não correspondido, mal entendido, mal buscado, da dificuldade ou incapacidade do analisante para fazer acordos justos e produtivos e exercer as qualidades venusianas já mencionadas em proveito próprio — o que só ocorre se houver também proveito alheio, se se puder deixar a solidão do egoísmo de quem “quer porque quer”, surdamente, impor suas vontades, ou a preguiça de fazer esforço e sair cedendo o que não se deve nos acordos e relacionamentos. É um preço caríssimo a se pagar.

Com isso, começa-se a prosperar, a relaxar e alcançar o bem-estar. Q excelência nas artes de Vênus é difícil de se atingir. Porém, é possível, mas somente com a ajuda de outros, em nossos diversos encontros.

 

 

 

Um comentário em “Vênus e a Psicanálise

Deixe você também o seu comentário