Tipo de Crônica


Tudo bem. Eu escrevi um livro e tenho um blog. Ambos sobre o mesmo assunto, aliás um assunto bastante desconhecido por muita gente. Talvez pela grande maioria, eu diria. Mas daí a me sentir uma escritora completa, uma escritora de prosa e verso, uma escritora de crônicas… não, imagina, isso é muito para mim. Quando acabei o livro, depois de tanto esforço, trabalho e dedicação pensei: Pelo amor de deus, estou acabada. Esgotei todas as minhas forças aqui. Agora chega, não escrevo nunca mais!

Dali em diante só queria viver o lançamento, o marketing, a divulgação do meu livro. Mas escrever de novo? Não!

Bom, mas aí, vocês sabem como é né? Quando o bichinho pega, já era! O vício toma conta e o amor à escrita fala mais alto. Veio então o blog. Aí pensei: Tudo bem, vai, nem vou escrever tanto, afinal são posts com imagens na maioria das vezes. Tranquilo.

Ahã! Tranquilo para que, cara pálida? Passo horas e horas da minha semana só pensando, escrevendo e alimentando o blog. Se vou desistir? Não, jamais! Ele também me alimenta de volta e assim nos tornamos grandes parceiros. Espero que parceiros da vida inteira.

Tá bom, mas isso é o máximo que posso fazer — mais uma vez pensei… — Escrever sobre outras coisas ou para outros lugares… nunca mais!

Até que, assim, de repente, e preciso dizer, felizmente, a Noga me convidou para ser uma das autoras nas Crônicas da KBR. Crônica??? Como assim? Não sei escrever crônica… Não sou uma escritora completa, lembram? O que fazer? Enfrento o desafio ou me escondo na covarde sombra dos que acham que nada sabem ou não querem saber? Quem me conhece, sabe a resposta.

E cá estou eu. É bem verdade que antes de cá estar, para não pagar muito mico, pedi conselhos a uma grande nova amiga. O mais sábio foi: “Escolha um tipo de crônica que tenha o seu estilo e siga o seu instinto e coração”. Imagina se eu não iria obedecer… é pra já, minha amiga!

Hummm… deixa ver: crônica metafísica, não! De humor, não! Lírica ou poética? Muito menos. Crônica-ensaio, de jeito nenhum. Reflexiva, também não. Ahhh, aí está você, Crônica Dissertativa, aquela que dá a opinião explícita do autor, sem muito argumento racional. Te encontrei. E olha que maravilha, você é a minha cara. Já fazia parte da minha vida e eu nem sabia…

Conto com você. Vamos juntas e de mão dadas a partir de agora?

 

 

6 comentários em “Tipo de Crônica

  • 25/07/2011 em 21:35
    Permalink

    Oi Má querida!!!!! Que bomq ue vc gostou. Fico muitoooo feliz coma sua opinião amiga! Ela conta muito para mim.

    um milhao de bjsss

    Resposta
  • 25/07/2011 em 14:44
    Permalink

    Oi Nádia!!!! Vc sempre me dando força. Muitooooo obrigada viu!

    Obrigada por tudo…

    bjsss

    Resposta
  • 25/07/2011 em 14:27
    Permalink

    Ahh,que máximo…Parabéns,menina,vc nasceu pra isso.Boa sorte,vai com tudo!Bjão…sou sua fã!

    Resposta
  • 25/07/2011 em 14:10
    Permalink

    Muito obrigada Noga e Ethel! Fico feliz demais por vocês terem gostado! Opiniões importantissimas para mim…..

    um bj carinhoso

    Resposta
  • 25/07/2011 em 11:35
    Permalink

    Amei, minha querida Julia! Estreou em grande estilo….Parabéns pra você e para a Noga (que enxerga longe!)

    Resposta

Deixe você também o seu comentário