The Crystal Crypt

“Chegamos ao estágio no qual a ética suicidou-se!”

Tive Ideias “revolucionárias” com acima para escrever a crônica sobre coisas importantes, como política ou pirataria; mas refletindo sobre o tema, cheguei à conclusão de que não faria muita diferença. Os políticos continuam a sequestrar nossas vidas e os piratas a negociar nosso trabalho. Apaguei o primeiro parágrafo e decidi contar como perco meu tempo, isolando-me das coisas que nunca vou mudar. Comportamento escatológico? Pode ser.

Não existe melhor forma de ler um autor do que na sua língua nativa; claro que não vamos exagerar querendo ler Confúcio em mandarim. Os escritores yankees — uma vez que os Estados Unidos carecem de um verdadeiro gentílico, pois o termo “estadunidense” pode perfeitamente ser aplicado aos mexicanos, já que o nome oficial do México é Estados Unidos Mexicanos; assim como o termo norte-americano pode ser aplicado também a mexicanos e canadenses, a palavra “yankee” em muitos países e dos mais variados idiomas é adotada para se referir ao cidadão oriundo daquele país — têm um vocabulário pouco extenso e construções simples nos seus textos, evidente que existem exceções, me atrevo a escrever que não existe a tradução, diria meras aproximações linguísticas, os “conceitos” perdem sua exuberância no processo.

Fascina-me desconstruir e reconstruir; com as facilidades da informática, se torna viável fazer coisas que há poucos anos eram “science fiction” (a genre of fiction dealing with imaginary but more or less plausible — or at least non-supernatural — content such as future settings, futuristic science and technology, space travel, parallel universes, aliens, and paranormal abilities. Exploring the consequences of scientific innovations is one purpose of science fiction, making it a literature of ideas).

Desejo ler uma história curta desse tipo. Vamos ao projeto “Gutemberg”, onde existem milhares de livros à disposição; procurei um dos escritores fascinantes nesse campo — oito em dez filmes de sucesso em Hollywood se baseiam nos seus escritos( Blade Runner, Total Recall, Screamers, Impostor, Minority Report, PayCheck, A Scanner Darkly, e muitos outros) — Philip K. Dick: “A realidade é aquilo que, quando você para de acreditar, não desaparece”.

Temos diversos formatos, mas como estão na moda os e-books, dei “download” da versão EPUB e MOBI, uma história curta bem- feita e delirante, “The Crystal Crypt”. Então, o homem sabia escolher os títulos. Morreu em 1982.

A propósito, lembram-se do “e-Book Writer Mantra”, TCR (Titulo, Capa e Resumo) de alta qualidade? Ah! Sim, um bom conteúdo ajuda; nesta época de integração dos meios — que frase diletante —, o importante não é ser criticado, e sim, lido; basta consultar as listas dos “mais vendidos”. Os críticos literários estão calados, percebam, em relação aos e-books e similares, acredito que seja porque suas mentes não conseguem mais pegar no tranco! Pois um crítico não passa de um leitor de segunda categoria.

Fazendo um “Spoiler” (any element of any summary or description of any piece of fiction that reveals any plot element which will give away the outcome of a dramatic episode within the work of fiction, or the conclusion of the entire work), a “nouvelle” trata de uma nave espacial a caminho da terra cheia de marcianos, policiais e sabotadores em conflito; no final, todos são presos por ter roubado uma cidade e a escondido no bolso!

Com meu navegador “FireFox”, turbinado com o leitor de “EPUB”, o texto aparece prontinho na tela, basta apertar o botão de “Salvar” e tenho a íntegra no “Hard Disk”. Vou escolher uma capa, todo e-book que se preste tem uma, regerar o e-book e talvez mudar o tipo de letra, meu preferido é:  “Bookman Old Style” e caixa 12. Agora sim, ficou do jeito que gosto! Resta copiar o EPUB para meu “generic tablet” (COBY) e desfrutar da leitura, esperem, não tinha notado que também posso fazer “download” do texto “verbal” (My sic!) do site que faz leitura, LibriBox,  nada melhor para aperfeiçoar a língua de Shakespeare.

Legal, posso ler, escutar. Dá uma sensação boa, alguma coisa como aquelas veladas de antanho: gente inteligente, espirituosa que discutia livros, liam em voz alta um parágrafo brilhante… Bons tempos!

Fernando Pessoa acertou:

A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar.

Realmente, o homem é o único animal que ri e chora com seus mundos imaginários!

Lá fora, alguns foguetes me lembram: gol, eleição ou cannabis, não importa, no final de contas os efeitos são similares.

***

Quem quiser compartilhar o e-book e a narração, pode dar um “Zap” neste link: Crystal Crypt.

Boa segunda-feira!

(Fonte de referência: Wikipedia)

 

2 comentários em “The Crystal Crypt

  • 15/10/2012 em 13:35
    Permalink

    vou aproveitar sua dica e baixar Crystal Crypt.

    Salve,

    Carlos

    Resposta
    • 15/10/2012 em 13:47
      Permalink

      No projeto “Gutemberg” que é perfeitamente legal, Domínio Público, existe excelente material.

      Resposta

Deixe você também o seu comentário