Sex Shop

— Não sei onde eu estava com a cabeça quando topei vir com você nesta sex shop.

— Deixa de ser careta.  Aproveita.  Vamos perguntar quais são as novidades.

— Não estou interessada.

— Olha este brinquedinho aqui.

— Ainda prefiro homem.

— Preferir todo mundo prefere, mas tá difícil.  O negócio é partir pra fantasia.

— A única fantasia que me interessa neste momento é imaginar como vou sair daqui.

— Pela porta.

— E se eu encontrar um conhecido na saída?  É a lei de Murphy. E se for, por exemplo, o coronel aposentado do terceiro andar?  Faz tempo que eu tô de olho no filho dele.  O pai já não vai muito com a minha cara, imagine o que não vai inventar pro filho se me encontrar saindo de um lugar desses.

— Seria uma sorte. Aposto como o filho ia te convidar rapidinho pra sair.

— É, mas com que intenções?

— Olha esta lingerie aqui.  O filho do vizinho vai enlouquecer.

— Quem enlouqueceu foi você.  Não conte comigo.

— Que nada: as quietinhas são as melhores clientes das sex shops.

— Não tenho certeza, mas acho que você está me chamando de puta enrustida.

— Compra, vai.  Solta a franga.

— Se eu comprar, a gente vai embora?

— Relaxa, cara.  Se você não ficasse só martelando nessa ideia fixa de ir embora, já teria notado que tem um coroa nos rondando.  Você não disse que prefere homem?

— Pode ficar com esse.

— E se ele estiver interessado só em você?

— Aqui dentro, o mais provável é que ele esteja interessado em nós duas.

— Eu não disse que as quietinhas são as piores?  Disfarça, porque o cara tá nos olhando meio escondido de trás da estante dos vibradores.

— Você já parou pra pensar que tipo de homem pode estar interessado nessa estante?

— Do tipo tímido.  Aposto que ele só se escondeu ali pra nos observar.

— Acho que cheguei ao fundo do poço: vir a uma sex shop e ficar esperando ser abordada por um homem que se esconde atrás de uma estante.  Vamos embora ou não?

— Não.  E não vira agora porque ele tá vindo pra cá.

— Só me faltava essa.

— Acelerou o passo   (sussurro).  Passou direto, tá saindo da loja!  Que pena!  Dá só uma olhadinha.

— Ih, perdeu.

— Viu?  Admite que o sujeito não era de se jogar fora e valia a paquera….

— Paquera?  Quando chegar em casa vou ligar correndo pro vizinho.

— Assim é que se fala.

— Quando o coronel souber que eu o vi dentro de uma sex shop vai ter que comprar o meu silêncio dizendo pro filho que eu sou a nora que ele pediu a Deus!

 

Deixe você também o seu comentário