Seu desejo é uma ordem

Ela nunca deixaria de acreditar na magia, e não eram poucas as histórias que tinha para contar. O marido, inclusive, costumava dizer que se um dia chegasse em casa e uma xícara lhe desse boa tarde, simplesmente responderia sem qualquer estranhamento.

Convidada por sua editora para escrever uma crônica inédita toda semana, ela agora tinha sérios questionamentos: daria conta do recado? Diante da tela em branco e do desejo manifestado de ser escritora, a frase “cuidado com o queres, pois você pode conseguir” era a única que lhe martelava a cabeça, num triste tom de ameaça.
Porém, era de esperança que ela queria falar. E entre fatos fantásticos e a dura realidade da vida, naquele texto passearia por boas lembranças guardadas.

Lembranças como as do dia em que ela e o marido viveram uma história que se divertiam demais em contar, de quando o casal assistiu a um palmo de distância ao show do qual pensavam nem poder passar na porta.

Tudo teve início quando se depararam com um outdoor anunciando a apresentação de um grande artista internacional em um teatro da sua cidade. Uma rara oportunidade; mas ao custo de R$350,00 por cabeça e por conta do pouco dinheiro que possuíam, melhor seria esquecer. E nem com ela dizendo que não se importaria se ele fosse só, conseguiu convencê-lo. Ou iriam os dois ou iriam os dois, é o resumo do que ele disse, agradecendo e descartando categoricamente a sugestão que ela deu.

Naquele mesmo dia, diante do cachorro quente servido na mesa do lanche, ela confessou que sua vontade mesmo era comer peixe. Não um peixe qualquer e, sim, um belo pedaço de haddock como há anos não via na sua frente.

Eram muitos desejos de uma só vez e os dois riram às gargalhadas por terem que engolir que estavam pobres demais para gostos tão refinados.

E lá estava ela, no dia seguinte, mergulhada em sua dura realidade: no stand de uma exposição de produtos femininos, ainda tentando vender pelo menos uma de suas jóias feitas à mão. Nem uma peça tinha saído em três dias de feira, de modo que sua vontade era encerrar aquela sexta em sua cama, provavelmente chorando no colo do amado.

O universo, no entanto, tinha outros planos para eles, e foi o que ela descobriu atendendo ao telefone. Era um amigo que não via há tempos revelando o fato de que a veria mais tarde. O local do encontro seria uma festa produzida para um cliente que ela atendera vinte anos antes, e que fazia questão da sua presença. Como não tinham sua confirmação na lista de convidados, ligava para saber se ela tinha recebido o convite.

— Se o convite não chegou foi por causa da greve dos Correios. Ou então alguém se apossou dele porque vinha acompanhado de um CD do John Pizzarrelli…

Parecia inacreditável, pois o melhor eles não perderiam: assistiriam o artista que tanto tinham desejado ver, em pessoa, fazendo um show especial para os convidados.

Lindos e felizes, marido e mulher dançaram abraçados a um palmo do tablado onde o músico se apresentava. Era o único casal a se arriscar na pista e John não tirava os olhos deles, tocava para eles, sorria com eles criando um elo mágico. E como se não bastasse, havia ainda o bolo e a cereja em cima dele: foi servido um delicioso jantar que tinha haddock como entrada.

E é por isso que ela sempre diz para todos a quem sua voz alcança: tenha certeza do que você deseja, pois você pode conseguir.

 

10 comentários em “Seu desejo é uma ordem

  • 28/08/2011 em 17:06
    Permalink

    ADOREI!!!! Sou total a favor do “acreditar-conseguir”!

    Parabéns Ethel querida por mais esse texto gostos de ler.

    um bj

    Resposta
    • 30/08/2011 em 12:07
      Permalink

      Pois, Julia, você é um exemplo que não me deixa mentir…
      Beijos, guerreira! Valeu!!!

      Resposta
  • 25/08/2011 em 13:45
    Permalink

    Ethel, eu sou Adriana, amiga da Dri. E como amo ler, não resisti quando vi a chamada no Face e vim conferir do que se tratava. AMEI! Já passei por situações semelhantes e é realmente incrível quando percebemos que nosso desejo se realizou. É uma pena que não conseguimos sempre canalizar nossos sentidos. Parabéns pelo texto!

    Resposta
    • 26/08/2011 em 15:55
      Permalink

      Ei, Adriana, muito prazer. Ainda bem que não te decepcionei! Receber seu comentário e saber que não estou sozinha é muito bacana, são desejos realizados!!!
      Espero te ver no FB e aqui também, é claro! Toda quinta entrarei com um novo texto, tomara que você curta os próximos também. Beijão!

      Resposta
  • 25/08/2011 em 12:51
    Permalink

    Amiga Ethel, grande escritor@!!!

    Feliz por, agora, ler suas adoráveis crônicas também na KBR, que não poderia deixar de lhe dar esse espaço, para entreter seus leitores.
    Essa estreia já é o marco de seu sucesso como a cronista da KBR também.
    Semanalmente, teremos a chance de apreciar esses seus fabulosos “escritos”,
    que nos alegram a alma!

    Sim! Cada vez mais, acredito na força do Cosmo! Vou garimpando os meus desejos..
    Grande beijo, com minhas saudações literárias.

    Resposta
    • 26/08/2011 em 15:44
      Permalink

      Ei, Bebete! Você como sempre me dando retornos generosos… Preciso renovar meu estoque de agradecimentos a você, querida!
      E falando em desejos, não vejo a hora de colocar a leitura do seu blog em dia. me aguarde lá, na sua “História com H”, estou com muitas saudades da Nina e de você também. Beijos, amiga!

      Resposta
  • 25/08/2011 em 11:55
    Permalink

    Eu que amei te ver aqui, Dri! E, sim, vamos sonhar cada vez mais…

    Resposta
  • 25/08/2011 em 11:31
    Permalink

    Ai, ai Ethel…, tô aqui deliciada com sua história. E ainda tem gente que não acredita em desejos jogados no universo. Amei!

    Resposta
  • 25/08/2011 em 09:26
    Permalink

    Ah… pois é… tô com um sonho novo aí… Argh. Tem gente que não para. É vício.

    Resposta
    • 25/08/2011 em 11:04
      Permalink

      Noga, ainda bem que é assim. Mesmo porque os seus sonhos sempre ajudam na manifestação dos meus… obrigada por tudo, minha querida amiga e editora.

      Resposta

Deixe você também o seu comentário