Os peitos*


Plagiando o grande Millôr Fernandes

Os peitos são algumas das partes mais importantes do corpo da mulher. Neles, as crianças se alimentam. Se não existissem peitos, todas as crianças morreriam de fome, não virariam adultos e a humanidade teria desaparecido. Os peitos são tão importantes quanto as cegonhas que trazem os bebês… para serem alimentados pelos peitos. Meu pai e todos os homens, em geral, adoram os peitos e as cegonhas das mulheres. Isso ocorre porque eles gostam muito das crianças.

Os peitos surgiram nos Estados Unidos, onde as mulheres, principalmente as artistas, tinham peitos enormes. O peito mais famoso foi a da atriz Jayne Mansfield, conhecida pelo apelido de O busto. Todos os homens perdiam a cabeça por causa do peito da Jayne, e até ela acabou perdendo a cabeça em um desastre de automóvel. Parece que foi um tremendo desastre, e só sobraram os peitos da atriz. Os peitos da Jayne e de quase todas as atrizes e modelos americanas não eram parte da anatomia feminina. Não! Tinham vida própria, se agigantavam, arfavam, respiravam, afrontavam, enquanto diziam, orgulhosos: Nós somos a América.

Conheci os peitos delas vendo umas revistas Playboy que meu irmão mais velho colecionava. Ele as lia muito no banheiro, onde ficava trancado por umas duas horas, dizendo que estava aprendendo inglês. Um dia, olhando pelo buraco da fechadura, descobri que ele estudava inglês manualmente.

Em seguida, os americanos, como fazem com tudo que é deles, exportaram os peitos para todo o mundo. As mulheres que não tinham peitos começaram usando uns sutiãs com armação de ferro e cheios de espuma. Depois vieram uns enchimentos de borracha e, mais tarde, descobriram o silicone. Aí, foi uma farra. Toda mulher virou atriz do velho cinema americano, e os peitos nunca mais pararam de crescer.

Quem não tinha peitos bonitos e fortes era considerada despeitada. Hoje, com tanta abundância de peitos, a palavra despeitada voltou ao seu velho significado, e todo invejoso acabou virando despeitado. Sem ter nada a ver com peito, todos que reclamam da cultura do grande orador que é o nosso amado ex-presidente, dizendo que ele não sabe concordar sujeito com objeto, que odeia o “s” no final das palavras, que ninguém entende o que ele fala, dizem isso somente porque têm uma tremenda inveja desse honesto metalúrgico que chegou à presidência. São todos uns despeitados.

As mulheres, ao contrário e graças ao já citado silicone, passaram a ficar menos despeitadas. É uma coisa interessante. Vendo o desfile de escola de samba, onde ficam umas mulheres nuas, em cima dos chamados carros alegóricos, a gente repara que elas se mexem para a direita, para a esquerda, para cima, para baixo, pulam, rebolam, fazem careta, e os peitos não saem do lugar.

Na academia que meu irmão mais velho — o tal da Playboy — frequenta, tem muita mulher bonita que botou o tal do silicone e ficou mais bonita ainda. Quando a coisa é bem feita, meu irmão fala que fica muito legal. Agora, quando umas magrinhas, sem nenhuma carne, enchem os peitos de silicone, fica uma coisa meio esquisita.

Num sábado em que fui à academia com meu irmão, vi uma coisa muito engraçada. Chegou uma mulher que usava os peitos como se fossem um arauto (arauto era aquele cara que nos antigos filmes de capa e espada, usando umas roupas de bicha, tocava um trombeta para anunciar a chegada do rei, usando ele também umas roupas de bicha, só que no caso do rei eram roupas de bicha velha), mas voltando à mulher-arauto, os peitos dela surgiram, vindo do andar de baixo, e somente dez segundos depois, ela apareceu.

É nisso que dá meter os peitos sem saber até onde se deveria fazê-lo.

Eu, na minha santa ingenuidade infantil, ao menos aprendi que, ao contrário dos pássaros, mais valem dois peitos na mão do que um voando. Segundo meu irmão, é muito melhor…

 

* composição infantil

 

 

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. janice maurity disse:

    Amei! Muito divertida a cronica do meu cronista maior. Esta ficou com gosto de quero mais.

  2. manuel funes disse:

    Falou e diz!
    A verdade se encontra nos lugares inusitados.
    Estas coisas me deixam feliz de ser mero mortal e não um ser divino !

  3. Claudia Valle disse:

    Crônica maravilhosa!!

  4. Noga Sklar disse:

    Engraçado, acabei de entender o significado do bico da cegonha, atrasada, eu…

Deixe você também o seu comentário