O tempo tem quanto tempo?

Essa história do tempo é complicada, complexa, e de certa forma, simples também. O tempo é incontrolável, está fora de nossas mãos, de nosso alcance, por mais que corramos atrás dele a vida inteira: esta é a parte difícil. A simples se deve ao fato de que essa questão não tem solução e, portanto, solucionada está. Não é mais fácil pensar assim? Lutar contra o tempo é banal.

O tempo não para, como já dizia Cazuza, nosso grande poeta. E a gente sofre, porque parar o tempo de vez em quando era tudo que precisávamos para esticar um momento de felicidade e alegria. O tempo não volta. E a gente sofre, porque daríamos tudo para voltar àquele dia, àquele abraço, àquele beijo, àquele colo, àquela viagem, àquela época, àquele acontecimento. Não é à toa que escutamos toda hora a famosa frase “ah, se eu pudesse voltar no tempo”. É um sentimento generalizado de todo ser humano. Não precisa muito, às vezes uma palavra que dizemos sem pensar já basta para querermos voltar no tempo e retratar o erro.

O tempo é cruel. Ele corre, ele voa, e a gente nem vê a sombra. Só o que resta são memórias, isso, para quem tem um cérebro competente. Por isso sempre digo: mais vale uma viagem do que um carro novo. A viagem, a vivência, a experiência, a história, sobrevive em nossa mente para sempre, ou assim esperamos. O carro envelhece, estraga, quebra, vira ferro-velho. A viagem o tempo não apaga, o carro sim.

Sábio de quem sabe aproveitar bem o tempo na vida, no dia-a-dia. Sábio é aquele que consegue fechar a conta do aproveitamento de seu tempo, no fim do dia, com saldo positivo. Organizar o tempo não é tarefa fácil. Há cursos, inclusive, com este tema. Só trabalhar não é aproveitar bem o tempo. Só se divertir, também não. Aliás, se existe algo subjetivo nesta vida , seu nome é tempo. Cada um faz de suas horas o que quer e o que bem entender, e isso é livre-arbítrio: o que é ter um tempo proveitoso para mim, pode ser o oposto para você.

O tempo é único, é individual. E é eterno enquanto dura, nem que seja por um segundo.

 

 

Deixe você também o seu comentário