O resgate da dignidade

por Edegerdo Hardt Junior.

 

Nos meses de chuva a cidade ficou em polvorosa; as tempestades vieram em profusão imensa e levantaram o nível do rio, que já inundara duas vezes. A prefeitura não tinha pessoal nem material suficiente para socorrer e abrigar a população sofredora. Muitas famílias desamparadas estavam albergadas nas escolas públicas e no estádio.

Numa tarde de chuva ininterrupta, o menino Jacob, de três anos, perguntou à mãe:

— Mamãe! Por que o Papai do céu tá bravo?

Sem saber o que responder, pois tinha medo de passar para o filho a desesperança que ia em seu interior, a mãe tomou da mão dele e fazendo um carinho no pequeno, disse:

— Papai do céu não está bravo, meu filho. Tá fazendo a limpeza da Terra — um sorriso baço começou a se desenhar em seu rosto; encontrara a resposta para o filho e para si. — Está limpando o mundo das coisas ruins que os homens tenham feito.

— Mas a chuva levou a casa — disse o menino, inseguro.

— A casa era uma ilusão, como fumaça. Nós pensamos que era o melhor, ficamos esperando a vida passar, sem procurar crescer. Nos dava uma segurança que não existia — disse, e afagou a cabeça de Jacob, que prestava muita atenção. — A casa estava no morro, e qualquer chuva forte poderia levá-la. Temos que agradecer pelo Pai ter nos tirado antes de a chuva fazer o estrago.

Alzira, vizinha de abrigo, estava escutando, atenta. E perguntou:

— Desculpe, Maria. Eu entendo que nos salvamos da morte, mas desde quando perder a casa é bom?

A mãe de Jacob falou para a amiga e o filho:

— Meu marido estava desempregado, não fazia mais nada. Estava prostrado e desesperançoso — olhou como para o horizonte, e continuou. — A casa caiu e ele levantou.”

 

Edegerdo Hardt Junior nasceu em Jacareí, São Paulo, em 1974. Aos três anos foi morar em Taubaté, cidade onde vive até hoje. Descobriu o maravilhoso mundo da leitura com a mãe; no colégio descobriu a vontade latente de escrever, a que deu vazão por intermédio da poesia. Formado em advocacia, atuou profissionalmente em Taubaté por sete anos. Em 2010, com o falecimento de seu avô materno aos 100 anos de idade, ainda jornalista ativo, voltou a praticar outros gêneros de escrita que não o jurídico. Seu livro de estreia, Algo para pensar, será publicado em breve pela KBR.

 

 

Noga Sklar

Editor, KBR Editora digital

8 comentários em “O resgate da dignidade

  • 01/07/2012 em 19:05
    Permalink

    Ed
    Tudo o que você escreve é com o coração, por isso é sempre bom, espero ler seu livro, pois sei que vou gostar bastante. Tenho a felicidade de conviver com você no trabalho e de ter a oportunidade de ler algumas coisas que você escreve.

    Resposta
  • 20/06/2012 em 15:13
    Permalink

    Tio, adorei a cronica, gosto muito de ler tudo o que você escreve, e espero ansiosamente pelo seu próximo ttexto e/ou seu livro né, não sabia muito o que escrever, mas acho que nada mais correto do que dizer como admiro todos os seus trabalhos e como admiro você, afinal você é um dos meus maiores exemplos,continue nesse caminho que você escolheu que permanecerei te seguindo e te apoiando da maneira que eu puder,abraços.

    Resposta
  • 19/06/2012 em 11:49
    Permalink

    O texto é interessante e traz uma mensagem clara de incentivo, para aqueles que atravessam momentos adversos, entretanto, o autor foi extremamente infeliz no último parágrafo, onde estabelece um paralelo entre alguém que vive na condição descrita na narrativa a de um paraplégico, até onde tenho conhecimento a condição física não é sinónimo de desinteresse social, intelectual, financeiro etc…

    Resposta
    • 23/06/2012 em 17:18
      Permalink

      Muito obrigado pelo alerta!
      Realmente o uso foi inadequado e cabe revisão urgente.
      Desculpe-me antecipadamente pelo escrito desabonador. Espero realmente que o senhor possa acompanhar meus escritos, pois é com a ajuda dos leitores que o escritor se forma.
      Obrigado novamente!
      Edegerdo

      Resposta
  • 17/06/2012 em 11:40
    Permalink

    Ótima crônica. Passa a mensagem de forma leve e agradável. Parabéns!

    Resposta
  • 15/06/2012 em 14:18
    Permalink

    Ansiosa para ler o livro dessa pessoa mega especial…. Pela cronica se ve bem que a realidade será retratada em prosa, doce e humana…

    Resposta
  • 15/06/2012 em 14:16
    Permalink

    Adorei!!! Parabéns, espero que o lançamento de seu livro lhe traga boas surpresas e novas doses de alegria e bem estar…

    Resposta
  • 15/06/2012 em 13:48
    Permalink

    Cronica bem escrita.
    Agora no creio que o sofrimento venha de uma fonte “Providencial”.
    Na nossa época emerge da traição de alguns com seus semelhantes.
    E não existe justificativa para ela.

    Resposta

Deixe você também o seu comentário