Entrevista com Noga Sklar – parte 3

Desta vez, com Jessika Costa, de São Paulo:

Srta. Noga, boa tarde !

Conforme falamos via telefone, segue abaixo um pequeno questionário que poderá ser respondido da maneira mais resumida possível. Certos de sua colaboração, todos os alunos do curso superior de Administração de Empresas, da Universidade Unifiel de São Paulo, agradecem muito!

1. De onde veio a ideia de publicar um Livro Digital?
Eu era escritora originalmente, e ansiosa como todos os escritores para disponibilizar meus livros, alguns já publicados em papel, outros na gaveta. Quando surgiu o Kindle, leitor digital de livros da Amazon, enxerguei a minha chance. Decidi aprender como fazer e publicar os meus livros. Uma vez que o método e o acesso estavam resolvidos, decidi estender a outros autores a oportunidade. Este foi o início da KBR.

2. Qual e quando foi publicado o primeiro Livro Digital pela Editora KBR?
Em outubro de 2009. Foi o meu romance Hierosgamos, na Amazon. Mas o primeiro publicado por nós e disponível para download no Brasil foi o livro bilíngue de poemas de Thereza Christina Rocque da Motta, Marco Polo e a Princesa Azul, que convertemos e disponibilizamos na loja americana.

3. Qual o potêncial desse mercado?
O potencial é enorme. O mercado de ebooks brasileiro praticamente ainda nem existe. Com a entrada da Amazon, da Google e de outros players, e ainda a novidade da biblioteca para smartphones, vamos ter uma verdadeira dimensão do que pode vir a ser. Já é certo que o advento do livro digital reabilitou o hábito de ler. Ler agora é bacana.

4. Quanto tempo demora a personalização de um Livro Digital?
Isso depende das características do livro. Mas o trabalho da KBR não se resume a isso. A parte mais importante do nosso processo é a edição do texto propriamente dita, que é feita à moda antiga: apurada e com rigor. Toda a qualidade do que vem a seguir depende disso.

5. Na sua opinião, os livros resistirão às tecnologias digitais ? O futuro do livro é mesmo digital?
Jessika, o futuro do livro é digital, mas não se resumirá aos leitores e formatos digitais. Explico: mesmo o tradicional livro de papel está se tornando digital, e a versão mais moderna é POD, um arquivo armazenado na nuvem que é impresso a cada exemplar vendido. Então o futuro do livro combina técnicas e mídias; o acabamento pode ser digital ou impresso em papel, mas em todas as instâncias o livro se tornará digital. A KBR já opera assim.

6. O que uma Editora Digital como a KBR temeria?
Não tememos nada!!! Não há dificuldade que nos derrube! No momento estamos desenvolvendo um método de conversão para digital usando os mais modernos recursos do mercado e vamos começar a ensinar a quem quiser aprender como se faz um livro digital de qualidade. Nosso capital é a ousadia, a intimidade com a tecnologia e uma rede consistente de contatos com as livrarias. O que deveríamos temer?

7. Como diferencio um livro impresso de um livro digital?
Bem, eu acho que já expliquei acima. Mas o que vc quer dizer, imagino, seria algo mais direto e simples: digital é livro que vc lê no meio digital: tablets, leitores, computador, smartphones. Impresso é o livro em que vc manuseia o papel, toca, sente, vira as páginas manualmente. Na verdade, no futuro próximo, não existirá diferença!!! Serão opções da mesma coisa à vontade do leitor!

8. Posso ler um Livro Digital em qualquer dispositivo ? Preciso instalar alguma coisa?
Sim, vc pode. Se vc precisa instalar, depende do aplicativo e aparelho que usa. No Kindle, por exemplo, não precisa instalar nada. Vc se conecta com a loja da Amazon, clica para comprar (não digita nada, o cartão é pré-registrado) e em 60 segundos o livro aparece no próprio Kindle. É sensacional! Tão intuitivo que até existe a possibilidade de cancelar a compra!

9. Livros eletrônicos são taxados de impostos?
No momento, no Brasil, os digitais, como os impressos, são isentos de impostos.

10. O que é um e-bookey?
Vc quer dizer e-book? É o termo em inglês para “electronic book”, em bom português: livro digital!

 

Leia mais: Parte 1 e Parte 2.

 

 

 

Noga Sklar

Editor, KBR Editora digital

Deixe você também o seu comentário