Atravessando as crises – o Serpentário

É claro que não vou entrar na discussão se os signos astrológicos mudaram porque alguém resolveu dar atenção à constelação do Serpentário, parte dela entre as constelações de Escorpião e Sagitário, e questionar a existência de um 13º signo. Socorro, socorrinho!

Já abordei este tema no artigo que está no meu site, chamado “O 13º signo e a morte da Astrologia”. Acabamos de passar do signo de Escorpião para o de Sagitário. O signo de Escorpião representa a fase do ciclo zodiacal em que a pessoa que vem fazendo sua caminhada pela vida toma consciência de sua própria morte, geralmente provocada por alguma perda importante — da infância, de pessoas, circunstâncias ou coisas queridas, coisas sem as quais parece que não conseguiremos mais seguir vivendo. Dá vontade de sumir, ir para a Pasárgada, dormir dentro do travesseiro até passar a dor. Todo mundo parece feliz, menos nós! Resumindo, acontece nas crises em que não vemos o caminho de volta para o bem-estar!

Nos revoltamos. Alguns querem morrer; de amor, de álcool, drogas, tristeza, desgosto. Quem consegue passar pelo orgulho, busca ajuda, desde conversa com amigos a psicoterapias, exercícios físicos, yoga, orações, meditação. E coincidentemente é nessa passagem de volta para o bem-estar, o otimismo, a confiança na vida e nas pessoas — atributos já do signo seguinte , Sagitário — que a constelação do Serpentário cruza a faixa zodiacal. Achei interessante, e fui fazer uma modestíssima pesquisa sobre a dita cuja.

Descobri que Ofiuco, o Serpentário, é uma constelação localizada no hemisfério Sul. O serpentário é um homem segurando uma serpente, que fica dividida em duas partes no céu, Serpens Caput e Serpens Cauda, sendo mesmo assim computadas como uma única constelação. Ofiuco, na mitologia grega, corresponde a Asclépio, filho do deus Apolo e da mortal Corônides. Desenvolveu grande habilidade na medicina; aprendeu a cirurgia e o poder curativo das ervas, e adquiriu tão grande habilidade que podia trazer os mortos de volta à vida. Ofendido, Hades pediu a Zeus que o matasse, por violar a ordem natural das coisas, e Zeus concordou. No entanto, como tributo a seu valor, decidiu colocá-lo no céu rodeado por uma serpente, símbolo da vida que se renova. Esculápio e sua serpente foram incorporados ao símbolo da própria Medicina, presente até hoje na cultura ocidental.

A respeito do Serpentário, o que ficou na minha mente foi a ideia de que a primeira atitude a se tomar nas crises, por mais dolorosas que sejam, é procurar ajuda, porque esta existe, através das artes da cura para a volta ao bem-estar físico e psíquico.

Agora, a saída, o Sagitário: qual é o truque para sair do buraco? No caso deste signo, é se imaginar no futuro, quando tudo tiver passado. Aí, tudo fica muito engraçado! Qualquer mico ou perrengue visto depois que passou é cômico: eis a bênção do senso de humor! Você se lembra de alguma vez em em que saiu todo arrumado para um evento extremamente importante, e, mal pisou na rua, tropeçou numa criança que passou correndo e caiu estatelado numa nova poça de água fétida que surgiu com a chuva, e com tanto estardalhaço, que a água fétida respingou até nos seus olhos? Você quer matar a poça e a criança, fica com os olhos arregalados de tanta raiva. Quando estava para ter um ataque de fúria, se opera a mágica do senso de humor: você projeta seu pensamento no espaço e no tempo e consegue se ver, como a se observar do alto, junto aos deuses.

Que situação, hein, meu amigo? Todo molhado, e vai ter que enfrentar uma ida até onde possa tomar um banho caprichado — sabe-se lá que germes se alojaram em você… no seu nariz, na sua boca aberta. Tá ridículo demais, companheiro! E aí você cai na gargalhada, diante da sua triste figura. Sacode os pingos d’água e pode ser até que vá assim mesmo ao compromisso!

Assim, aceitando a ajuda, usando de bom humor e boa vontade, o intermediário Ofiúco pode ir se ocupar de quem de fato estiver precisando. Há dores causadas por outros motivos, para além dos inerentes ao crescimento humano. Como já dizia Shakespeare na fala de Hamlet: “Há mais coisas entre o céu e a terra, Horácio, do que sonha sua vã filosofia.”

 

2 comentários em “Atravessando as crises – o Serpentário

  • 26/11/2011 em 19:38
    Permalink

    Como diz a letra do samba… “Levanta, sacode a poeira e da a volta por cima…”
    Como sempre a palavra mágica é ACEITAÇÃO.
    Muito bom. Parabéns.
    Abraço,
    Raul

    Resposta

Deixe você também o seu comentário