Antes tarde do que nunca

A Procuradoria Geral da República reuniu provas suficientes para denunciar o presidente do Senado Federal no âmbito da Lava-Jato. Ele é acusado de corrupção ativa e lavagem de dinheiro de propina no valor de R$ 800 mil, em “arranjo” que envolvia vantagens em licitações da Petrobras para a empreiteira Serveng. A PGR pede reparação de danos materiais, no valor mínimo de R$ 800 mil, mais R$ 800 mil para danos causados e perda das funções públicas, o que, cá pra nós, já era pra ter ocorrido.

Quem se pronunciará sobre a denúncia no STF, já que Renan tem foro privilegiado, é o Ministro Teori Zavascki. Vamos ver como ele encaminhará o pleito dentro do tribunal, e como este se comportará depois dos nefastos acontecimentos da semana passada. O pedido da PGR é mais do que o afastamento da presidência do Senado, é a perda do cargo de Senador. Provavelmente, o Ministro Teori não aceitará o pedido de perda das funções públicas, com o argumento de que não pode interferir em outro poder. Vamos ver se o Senado terá colhões para fazer com Renan o mesmo que a Câmara dos Deputados fez com o Eduardo Cunha.

Naturalmente, isso será deliberado só no ano que vem — antes tarde do que nunca!

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/12/1840621-procuradoria-denuncia-renan-calheiros-na-operacao-lava-jato.shtml

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/janot-denuncia-renan-por-corrupcao-e-lavagem/

Foto: Agora News

Você pode gostar...

Deixe você também o seu comentário