Anfitriã de festa em São Paulo se desdobra para recepcionar convidada carioca

— Esta aqui é a Ieda. É carioca.

— Carioca? Que gostoso! (Pausa)  O mar, a praia… Deve ser ótimo… Você deve ir todo o dia…

 ***

— Deixa eu apresentar a Ieda.  Ela mora no Rio.

— No Rio?? Por quê???

— Ah… carioca?  Gostoso, não? (Pausa)  Aquela praia.  Você deve aproveitar bastante.  Adoro o Rio, mas não vou mais lá.  Sabe como é… violência… bala perdida.

— Mas São Paulo também tem seus problemas.

— Aqui já teve tiroteio no metrô e agora temos arrastão em restaurante,  é verdade.  Isso vai mal.  (Mas é São Paulo, é diferente…)  Ah. O mar. Que gostoso…

(Sério, cara, eu não tenho carro blindado.)

 ***

— Olha, esta aqui é a Ieda.  Ca-ri-o-ca.  (Espero que não digam nada inconveniente: a pobre não tem culpa disso e, além do mais, casou com um paulista.)

***

— Marido paulista?  (Ele não precisava disso, com tanta moça boa por aqui…)  Como é que o seu marido foi parar no Rio?

***

— Como vai aquela terra maravilhosa?  Adoro o Rio.  (Sobre o quê se pode conversar com cariocas? Será que eles tem alguma cultura geral?  Melhor não arriscar.  Podia falar de samba, mas ouvi dizer que nem todos os cariocas gostam de  carnaval.)  O mar… que gostoso!  (Pausa longa)

***

— Gente, esta é a Ieda.  C-a-r-i-o-c-a, casou com um paulista(Pode acontecer com qualquer família.)

— Aquele marzão do Rio é o máximo.  Que gostoso!  (Silêncio)

***

— Ah, ela sempre viveu no Rio, mas não nasceu lá?  (Há esperança!) Aqui em São Paulo?  Sul?  Não?  (Deixa no Rio mesmo, dos males o menor.)

***

— Puxa!  Carioca!  Que gostoso!  (Pausa muito longa)  Você deve viver na praia.

(Olhaqui, carapálida, dá uma olhada na sua cor e na minha.  Você vai para o Guarujá, ou coisa que o valha, todo fim de semana, eu não vou à praia há séculos.)

***

Educados, os paulistas se esforçam para ser agradáveis.  Agradecida, a carioca retribui indo ao encontro do imaginário vigente.   A praia vai bem, manda lembranças.  Ela não sai de lá.  (Esta afirmativa causa um misto de inveja e piedade.)  Bom que vocês adoram o Rio.  Tem muito assalto, melhor não ir mesmo.  Sorte a minha estar aqui.  São Paulo é o máximo, tudo funciona melhor.

(Não, eu não me visto sempre como se fosse para ir à praia.  Aquela ali, se aparecesse com essa roupa no Rio, sei não…  Em São Paulo, carioca de respeito só pode usar gola alta e saia bem comprida. Mas paulista de tomara-que-caia, num frio de dez graus, pode.)

 ***

Sorrisos gerais.  (Ela é legal.  Pena ser carioca.)

  ***

(Coitados.  Ser politicamente correto com os cariocas deve ser exaustivo para eles, tão chiques e civilizados.)

 

 

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. manuel funes disse:

    Bem que seria do cosmos sem o CÔNCAVO e o CONVEXO 🙂

Deixe você também o seu comentário