Amor eterno

 

“Sim, querido, eu também vou te amar para sempre.  Já disse isso há vinte anos.”

Você não acreditou, mas tenho certeza de que agora acredita.   Fazer você feliz sempre representou a minha própria felicidade. Assim, fui me enganando por anos.  Não enxergava a realidade e deixava você me tratar como se eu fosse de segunda categoria. A paixão, além de cega, é burra.  Um dia, percebi que só te faria feliz se me anulasse por completo. O instinto de sobrevivência falou mais alto. Tive que escolher entre você e eu. Pensa que foi fácil? A separação me custou muito. Para você também, eu sei.  Nem podia acreditar que eu ia embora. Eu era parte importante da sua vida, você nunca imaginou que pudesse me perder, né?  Desesperado, ridicularizou minhas juras de amor eterno. Gostaria que você tivesse sido um pouco mais fiel. Você me amava, mas precisava de aventuras. Eu ainda acho que é fraqueza masculina essa sua necessidade de namorar mais de uma mulher ao mesmo tempo. Filho-da-mãe. As suas mentiras foram pesando cada vez mais em nossa relação, eu quase enlouqueci.  Não dava mais para engolir tantas desculpas esfarrapadas. Nossa vida estava se transformando em um inferno. Você também percebeu que era melhor a separação, mas sofreu muito. Estes anos de afastamento foram difíceis. Eu não te esqueci, você também não me esqueceu. Quer voltar para mim. Você é homem, não tem ideia do que eu sinto quando te vejo aos meus pés. É quase um orgasmo. Logo você, para quem as mulheres são tão importantes e, ao mesmo tempo, seres de segunda categoria. Não troco por nada esse prazer que descobri agora. Nem pelo nosso amor.

Esta semana está muito complicada, me liga semana que vem.  Sem falta, viu?”

 

***

 

“Que bom falar com você. Outro dia, por acaso, encontrei o Ricardo e ele me deu notícias suas.  Com toda essa coincidência, fiquei com saudade e tomei coragem para te telefonar. A gente podia combinar um almoço para colocar as novidades em dia.”   

 

Eu sabia que o idiota do Ricardo tinha o seu telefone novo. Por vários dias fui almoçar perto do trabalho dele, só para conseguir o número. Estou morrendo de saudade. Pô, como era bom quando nós estávamos juntos! A gente transava e tinha aquela coisa do carinho. Já não sou criança, sinto falta de um aconchego. Sexo é bom de qualquer jeito, não dá para dispensar. Mas com você sempre foi mais do que isso. Estou louco para te comer de novo.

 

”Se você puder, que tal marcarmos ainda para esta semana? Espero que você não me odeie tanto a ponto de nem querer mais me ver. Acredita que eu ainda te amo? Acho que será para sempre…”

 

 

Você pode gostar...

Deixe você também o seu comentário