A moda nossa de cada dia

moda 2Na cultura ocidental, é possível situar  uma ilustração no tempo observando os detalhes da moda de vestuário. Isso pode variar entre as perucas da rainha Maria Antonieta, o saiote de Pedro Álvares Cabral ou as cinturinhas de vespa do início do século XX.

Andei pensando no que será lembrado como representativo do início dos anos 2000. Decidi: botox. Todo mundo agora tem a mesma cara: a cara do botox. Confirmei minhas suspeitas no dia em que vi uma foto da D. Marisa e achei que era a Marta Suplicy.  Daqui a pouco, vai ser necessário etiquetar algumas das minhas amigas.

— Tudo bem, Sílvia?

— Sou a Renata.

— Ah, agora que você falou, estou reconhecendo a voz.

A moda do tipo físico varia quase tanto quanto a de vestuário. A gordura, execrada atualmente, já foi desejada em outras épocas. E pode escrever: volta à moda qualquer dia desses. Há poucas décadas era moda fazer plástica no nariz.  Um modelo, pequeno e parecido com o adotado pelo Michael Jackson, ficou popular. Já não se usa mais. Agora dizem que sobrancelhas grossas estão na moda. Como assim? Adotar sobrancelhas finas, como era moda na época dos filmes mudos, é fácil, mas conseguir pelos onde não há folículos é difícil. Não me surpreendo se em breve aparecerem anúncios oferecendo implante para sobrancelhas. Quase certo: apesar da aparência estranha desses implantes, haverá gente interessada.

Incrível como as pessoas se submetem a sacrifícios para seguir a moda.  Não adianta lutar contra, avisar que saltos de vinte centímetros são um convite a problemas de coluna ou a pés torcidos, que fumar prejudica sua saúde e que dietas drásticas podem trazer complicações sérias. Alguns adotam cegamente qualquer modismo (atualmente é mais chique dizer tendência).

Uma coisa que está na moda há bastante tempo é ser jovem. Ou, no mínimo, parecer jovem. Conheço homens que pintam o cabelo e mentem a idade e mulheres com testas de quinze centímetros que afirmam nunca ter feito plástica.

O mito da fonte da juventude vem sendo perseguido pela humanidade sem sucesso, mas a indústria cosmética tem explorado bem o assunto, com direito a lances inimagináveis. Ganhei uma amostra grátis de um produto carésimo, que prometia mundos e fundos sobre rejuvenescimento. Procurando informações mais detalhadas na internet, encontrei um blog em que a autora afirmava ter usado e aprovado o tal artigo, que teria sido muito eficiente na redução do seu bigode chinês. Perfeito, não fosse o detalhe de ter sido escrito por uma menina de vinte e um anos e, pior, tratando o assunto a sério.  Com que idade será que ela começou a achar que precisava rejuvenescer?

Muita bobagem seria evitada se algumas modas viessem acompanhadas por bulas, com modo de usar e advertências sobre efeitos colaterais: o exagero cria personagens ridículas. Meninas se vestem como viúvas negras, idosos sem-noção se comportam como adolescentes. Sei de uma pessoa cujo apelido é Avó da Barbie, precisa dizer mais?

Na realidade, todos esses comportamentos ilustram a luta de cada um pela sobrevivência, física ou social.  Seja qual for a estratégia adotada, mais cedo ou mais tarde, o indivíduo perde a batalha, porque a Natureza está a serviço da renovação. Até que se descubra como enganá-la indefinidamente, a vida corre melhor se, pelo menos, não perdermos o bom senso.

 

 

2 comentários em “A moda nossa de cada dia

  • 12/03/2013 em 20:19
    Permalink

    A moda hoje é produto de uma equação, baseada em a matemática fria de lucros e custos com pitadas de pesquisas de mercado, para abocanhar o maior número de tolos!

    Resposta
  • 10/03/2013 em 11:22
    Permalink

    Fiquei tranquila porque não me encaixo como “Avó da Barbie”…ufff
    Concordo com seu texto, por sinal muito bom!!
    bjs
    Martinha (Palhano)

    Resposta

Deixe você também o seu comentário