2012 – ano da Lua

Os antigos usavam a “Estrela dos Magos”, de sete pontas, onde são colocadas as duas luminárias  o Sol e a Lua  e os cinco planetas visíveis a olho nu e que eram conhecidos na antiguidade, de Mercúrio a Saturno. Eles a utilizaram contando o Ano Zero sempre como sendo o ano regido pelo Sol. A sequência é a dos sacerdotes caldeus, que tem a ver com a velocidade média aparente dos planetas/luminares e com os ciclos da vida (o número sete é relacionado aos ciclos de Saturno, que leva cerca de 28 anos para realizar uma volta completa em torno do Sol, e da Lua, que tem um ciclo médio de 28 dias (mês lunar). Começa então pelo Sol no sentido dos planetas entre o Sol e a Terra, Vênus, Mercúrio e Lua ; depois os seguintes, Saturno, Júpiter e Marte e, por fim, volta ao Sol.

O cálculo do regente do ano é muito simples: basta dividir o ano por 7, e o número que restar indica o planeta. 
2012 é, pois, regido pela Lua. Vamos a ela, então!

A Lua representa em nós o que chamamos de psique, ou subjetividade, como é dito hoje. Funciona como um filtro superespecífico e autônomo entre nós e o mundo exterior. Sua função primeira é nos proteger e garantir a nossa sobrevivência.

Nos seres humanos, ela funciona como o mais forte sedativo, que é a capacidade do esquecimento. Tanto no sentido de esquecer quanto no de lembrar (memória), ela opera objetivamente na subjetividade com aquela inteligência autônoma à qual me referi acima. Quer dizer, independentemente da nossa consciência. Sem o esquecimento, seria impossível sobreviver. A começar do início: não suportaríamos o grandioso susto do nascimento e poderíamos morrer, não fosse o bálsamo do esquecimento que nos é dado pela Lua.

Para muitos, não parece, mas a função da Lua é uma questão de vida ou morte: se você não conseguir convencer alguém a cuidar de você quando bebê, a morte te ronda… Nascemos muito indefesos, e o passado nos dá uma dimensão de quem somos. A Lua, como nosso pai e nossa mãe, nos passa uma herança, nos ajuda a sobreviver graças ao hábito que nos é passado: a tradição.

A Lua é fundamental para a tranquilidade. Para o bem-estar da psique, é preciso que fiquemos ligados nas questões comuns da vida.

A Lua é a função da Mãe: funciona terapeuticamente. É responsável pelo término da luta; lembra que você vive em sociedade, que você tem deveres, que você tem que comer; que é feito de carne e osso, sangue e necessidades que precisam ser atendidas. É a emoção, e a emoção sempre vem do passado, é sempre uma lembrança. A Lua extrai o passado numa forma simbólica, não da forma concreta, real: transforma os acontecimentos em Mitos. Já o presente é exaltação, realização.

Outra palavra ligada à Lua, especialmente na Cabala, é “fundamento”. Ela representa a infância, que é o período em que não temos condições para assumir a nossa sobrevivência. Nessa fase, só recebemos. Na infância e na velhice, a precariedade da nossa situação é máxima.

A Lua é prática, popular; todos temos um passado e alguma história: então, somos todos iguais nesse aspecto.

 

Agora, ao que interessa: o ano de 2012.

Teremos oportunidade de perceber nossas emoções, o quanto o fundamento da nossa paz de espírito é necessário para avançarmos no nosso desenvolvimento pessoal, amadurecimento, e também nas nossas realizações materiais. Não adianta nada estar dentro de um palácio de ouro tomado de angústia. E isso acontece muito. A dica para este ano vem, primeiro, das águas: é regido pela Lua e Netuno está entrando definitivamente em Peixes, seu próprio signo, também de água. Já falei mais sobre isso numa crônica anterior.

Água é emoção. Acalmemo-nos, pois; os embates de Saturno em Escorpião e Júpiter em Touro, pelo Poder e pelo Valor, vão estar a mil, a Lei contra a adoração generalizada do bezerro de ouro, que é a Ganância, saco sem fundo de desejos, insaciável e viciante.

Além desses aspectos, Urano estará em Áries para nos dar coragem e dignidade para manter nossos propósitos verdadeiros: viver segundo acreditamos, uma coisa pra lá de difícil!

Vamos lembrar que nada merece a nossa paz de espírito, algo que só compreendemos quando a perdemos. Então, vamos de Lua e Netuno contra a Ganância, com fé, dignidade e sem esmorecer.

Feliz 2012 para todos nós!

 

2 comentários em “2012 – ano da Lua

  • 31/12/2011 em 12:28
    Permalink

    Valeu, Guria!
    Tenho a lua em câncer
    Daí que, .espero um ano bem melhor que o anterior, que para mim foi um terror…
    Feliz Dois Mil e DOCE!!!
    Beijo,
    Raul

    Resposta

Deixe você também o seu comentário